quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Cara-de-pau e o quarto poder

Há casos que são demais: ontem, o italiano Gregório Olittierri, de 65 anos, foi assassinato na pousada da qual era dono, na Rua João Pondé, na Barra. Assim que as equipes de imprensa chegaram, um grupo aglomerava-se na porta e muitos se dispuseram a dar entrevistas sobre o que viram e ouviram. Um deles, o pintor Luciano Bonfim, prontificou-se a falar e disse ter ouvido gritos vindos do quarto.

Deve ter ouvido mesmo. Horas depois, a polícia apresentava o mesmo cidadão como réu confesso. O motivo? Desentendimentos antes de uma relação sexual. O que me espanta é que esta não foi nem a primeira, nem a última vez que a imprensa ouve a fonte errada. Neste caso, os repórteres não tinham bola de cristal, mas talvez um faro mais observador ou uma conversa com os peritos que estavam no local poderiam ter evitado a saia-justa.

Uma máxima dos romances policiais reza que o criminoso sempre volta ao local do crime. Acho que aos colegas, com a pesada rotina e a dificuldade de aprofundar a pauta com a redação ligando e dizendo "volta logo com a matéria", precisam voltar a ter o tal do faro investigativo. Senão, vão tomar cada vez mais baile de fontes.

Lembra do caso da Linha Amarela? Quando houve o acidente do Metrô, um falso engenheiro, Rogério de Almeida deu entrevista a várias TVs e jornais. O âncora da Band, Ricardo Boechat, precisou pedir desculpas. Assim, a tão prezada credibilidade vai para as cucuias.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Fazer 30 anos

Muitos dos meus bons amigos são nascidos em 1980. Para vocês, ao fim desde 2010, dedico a poesia de Affonso Romano Sant´Anna. (na voz de Juca de Oliveira, direto do quadro Devaneio, na Band News FM.

video

Papai é geek

Eu não posso me encaixar no perfil de filhos que dão socorro aos pais com o bê-a-bá da tecnologia. Não por mim, mas poque papai é um geek. Foi ele quem me apresentou html, altavista, internet, conexão discada, blog... É ligado nisso tudo. Minha mãe se vira bem, também. Mas sei que eles são uma completa exceção.

Se você é daqueles que precisa dar este suporte técnico familiar, seus problemas acabaram! O site www.teachparentstech.org traz uma série de dicas do pessoal do Google para trocar fundo de tela, anexar arquivo.

Divirtam-se e dividam!

(novidade via Marcelo Duarte)

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Horário de verão, por que não?

Eram 4h45 da manhã de Natal. Não vi Papai Noel com suas renas, mas vi que o horário de verão na Bahia é possível. Sim. A justificativa costuma ser que para as pessoas que saem muito cedo, o dia fica escuro. Será que o volume de pessoas que sai de casa antes das 5h45 da manhã é tão grande assim, a ponto de os considerarmos como contingente mais relevante do que aqueles que estão às 19h fora de casa?

Governantes, acordem cedinho um dia e repensem a decisão. Teríamos dias mais longos e mais produtivos por aqui.

Quem não tem balangandãs....


Fim de semana passado, recebi amigos em casa. Como é tradição, fizemos o city tour em Salvador. Admito que fiquei feliz e surpresa ao ver que o Centro Histórico está melhor do que das últimas vezes que estive por lá com turistas. O pessoal do crack está em menor número, os prédios estão mais bonitinhos, mas ainda há um longo chão.

Uma das coisas que não consigo entender é como a cidade que vende ter uma igreja pra cada dia do ano mantém as portas de seus templos cerradas. Sim, promovemos o turismo religioso, mas quando chegamos na Ordem Primeira de São Francisco, num domingo, a igreja conhecida por ser a mais rica do Brasil estava fechada. A viagem não foi perdida porque a Ordem Terceira, dos leigos franciscanos, recebia visitantes, com um guia muito solícito e tudo. Nos cobrou R$ 20 reais ao fim do tour, tudo bem, mas a explicação valeu a grana. Há dez anos não consigo entrar na Igreja de São Francisco.

Na Santa Casa da Misericórdia, o passeio foi interessante. Vimos o museu, conhecemos seus "benfeitores", mas na hora da Igreja... Fechada porque se preparava para um casamento.

Descemos o Elevador Lacerda - com apenas uma das quatro cabines em funcionamento - que decepciona nove entre dez turistas que apostam ser o ascensor panorâmico. Lá embaixo, Mercado Modelo fechado.

Voltamos para o carro e rumamos para a Colina Sagrada. Não dá para sair de Salvador sem as bênçãos do Nosso Senhor do Bonfim. Lá, uma bela missa cantada. Amarramos fitinhas na grade, compramos souveniers e até garrafinhas de água benta. Valeu a ida.

Me pergunto: como podemos querer que nossos turistas saiam felizes e realizados se nossas atrações não permitem visitas? O que há de errado na política de turismo que não vê que é preciso conversar com Arquidiocese, Associação Comercial, Secretaria de Transportes e mais sei lá quantas entidades para que seja proveitoso vir à Bahia? Daqui a pouco 2014 chega. Vamos ficar no amadorismo?

Beira de estrada

Esta foi vista na Linha Verde:




























Balaio de mangas: "se não vai me chupar, não me amasse!!!"

Promessa de Ano Novo

Ganhei de Natal presentes que nunca poderia imaginar ter. Nenhum veio embalado com fita de cetim, mas foram todos os mais especiais que já tive.
Então, faço a promessa de Ano Novo. Estarei de volta por aqui, dando os meus pitacos e compartilhando com vocês. Quero retribuir o que ganhei.

Quem quiser conhecer o meu lado maria-mole, já que este aqui é meu cantinho de menina-durona, pode dar uma olhada em http://recantodasletras.uol.com.br/autores/gabrieladepaula. Aqui estão os meus textos mais reflexivos, poéticos... Se quiserem ser cobaias...

Pra não perder a deixa: pontos turísticos que fecham aos sábados são contraproducentes para uma cidade que quer se vender como destino de férias!

Falo disso no próximo post.